A Rússia está procurando adicionar armamento mais sofisticado aos seus estoques e encomendou “várias dúzias” de mísseis hipersônicos Tsirkon neste outono, informou a agência de notícias estatal TASS na sexta-feira.

O pedido deve ser cumprido até o final de 2023 e vem depois que o Kremlin ordena um “lote de Tsirkons” durante o verão de 2021.

O relatório vem poucos dias depois que Teerã, que ajudou a Rússia em sua guerra na Ucrânia, anunciou que havia desenvolvido seu próprio míssil hipersônico – levando alguns a questionar se Moscou ajudou seu aliado do Oriente Médio a desenvolver o armamento sofisticado, embora a defesa dos EUA as autoridades expressaram ceticismo sobre a autenticidade das alegações de Teerã.

ARQUIVO – Nesta foto de arquivo tirada de um vídeo distribuído pelo Serviço de Imprensa do Ministério da Defesa da Rússia, em 9 de dezembro de 2020, um míssil balístico intercontinental terrestre foi lançado das instalações de Plesetsk, no noroeste da Rússia.
(Serviço de Imprensa do Ministério da Defesa da Rússia via AP, Arquivo)

IRÃ RECLAMA CONSTRUIR MÍSSIL BALÍSTICO HIPERSÔNICO

Os mísseis hipersônicos não são apenas capazes de viajar cinco vezes mais rápido que a velocidade do som, a uma taxa de 3.800 mph, eles também podem viajar em trajetórias complexas, o que os torna difíceis de se defender, informou o Instituto Internacional de Pesquisa da Paz de Estocolmo.

As forças armadas russas teriam lançado “múltiplos” mísseis hipersônicos na Ucrânia desde o início da guerra, de acordo com as principais autoridades de defesa dos EUA, embora ainda não esteja claro quantos mísseis permanecem nos estoques da Rússia.

O Kremlin viu reveses significativos em seu fornecimento de armas e capacidade de manter suas linhas militares na Ucrânia, e Kyiv viu uma de suas maiores conquistas na sexta-feira, depois que as forças russas se retiraram da cidade de Kherson, no sul.

Embora a Ucrânia e os aliados ocidentais tenham defendido o avanço da Ucrânia, a ex-oficial de inteligência do DIA para Doutrina e Estratégia Russa Rebekah Koffler alertou que a retirada pode ser uma armadilha.

A Rússia disse que testou um míssil de cruzeiro hipersônico Zircon no Mar de Barents, sábado, 28 de maio de 2022.

A Rússia disse que testou um míssil de cruzeiro hipersônico Zircon no Mar de Barents, sábado, 28 de maio de 2022.
(Ministério da Defesa da Rússia)

ZELENSKYY DA UCRÂNIA DIZ KHERSON ‘NOSSA’ APÓS RETIRO RUSSO

“As coisas estão muito fluidas agora”, disse ela à Fox News Digital. “A inteligência ucraniana é muito capaz, tendo se beneficiado do apoio dos EUA e da OTAN. Eles quase certamente planejaram várias contingências.”

“O que não pode ser descartado é que os russos montaram uma armadilha e planejam realizar uma operação de bandeira falsa”, acrescentou.

O presidente russo Vladimir Putin assiste a um exercício naval do cruzador de mísseis Marshal Ustinov no Mar Negro em 09 de janeiro de 2020.

O presidente russo Vladimir Putin assiste a um exercício naval do cruzador de mísseis Marshal Ustinov no Mar Negro em 09 de janeiro de 2020.
(Foto de ALEXEI DRUZHININ / ESCRITÓRIO PRESIDENCIAL DE IMPRENSA E INFORMAÇÃO DA RUSSA / DIVULGAÇÃO / Agência Anadolu via Getty Images)

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O APLICATIVO FOX NEWS

Um porta-voz da Força Aérea Ucraniana, Coronel Yurii Ihnat, emitiu um tom similarmente ameaçador no sábado e alertou que a Rússia pode tentar usar a cúpula do G20 na próxima semana na Indonésia – quando líderes das 20 principais nações se reunirão para discutir a economia global, o clima. mudança e desenvolvimento futuro – como uma distração para atingir a Ucrânia.

Ihnat apontou que a Rússia tem um histórico de empregar “provocações em torno desses dias” em referência a ataques anteriores que o Kremlin realizou durante grandes eventos.



Source link

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *